O primeiro teste - meu bolo Chiffon de Limão

Fábio, meu amorzão e marido, voltou de viagem dos EUA e trouxe na bagagem meu maior sonho de consumo (que só se realizou graças às facilidades de preço oferecidas pelo Tio Sam): minha própria batedeira vermelha da KitchenAid!!!!

Essa foi verdadeiramente uma prova de amor, porque além das roupas e compras, ele ainda teve que trazer, só da batedeira, mais de 10kg na mala. Isso sem contar que veio uma super-hiper-blaster-master-advanced-plus caixa de ferramentas e um conjunto completo bicos de confeitar da Wilton.

Fá, eu te amo muito!

Depois de matar as saudades do meu marido ma-ra-vi-lho-so, tive que testar essa máquina maravilhosa, que há tempos namorava... e nada melhor para testá-la do que um bolo!

Li todo o manual de instruções da máquina (que, de cara, recebeu o apelido de Big-B - uma prática que meus pais costumam ter, apelidando os equipamentos, carros e utensílios) e, para minha surpresa, notei que a maioria das receitas levava um ingrediente diferente: CREMOR TÁRTARO! Já tinha lido em alguns sites que esse pó era muito usado no passado, em lugar ou para auxiliar o fermento químico, mas nunca tinha visto ou conhecido alguém que tivesse usado. Pedi ao meu pai, numa de suas indas e vindas pela cidade, que comprasse um potinho para eu testar.

Não sei se tem muita diferença, mas usei o cremor tártaro da ARCOLOR, associado a uma faixa de assar que veio na maleta da Wilton ("Bake-Even Strips") - usado para não foram aquela 'casquinha' do bolo, de cor mais escura. O resultado foi esse da foto.


Minha forma tem cerca de18cm de altura e esse bolo superou essa marca. Deve ter chegado a uns 20cm. Posso dizer que esse bolo foi o mais fofo da minha vida. A consistência é quase de algodão doce, algo muito leve e macio. E melhor, essa maciez durou por vários dias - não ficou com aspecto de bolo 'seco' no dia seguinte.

Pesquisando, descobri que os bolos chiffon e angel cake, tem esse traço característico.... A diferença é que o bolo chiffon leva ovos inteiros e gordura, dentre outras coisas, e o angel cake não leva gordura alguma, sendo preparado apenas com as claras batidas em neve.

A forma para esses bolos também é especial, inclusive o fundo é solto (usei a que tinha em casa, de alumínio, comum), e tem mais:
  1. A forma não pode ser untada (embora, confesso que por medo de grudar eu tenha passado uma finíssima camada de margarina na forma). Ela deve estar muito limpa e sem qualquer gordura porque esses bolos usam as paredes da forma para estabilizarem no forno. Assim, a massa adere a parede da forma criando uma espécie de degrau para a massa.
  2. A forma também ajuda no resfriamento do bolo, que sempre é feito de cabeça para baixo. Se ficar na posição normal, o seu próprio peso vai fazer com que o volume final diminua consideravelmente. Ou seja, esse tipo de bolo deve ser virado assim que sair do forno e permanecer assim por pelo menos 1 hora - se a forma é (bem) untada, o bolo se desprende e cai.
Lá vai a receita dessa maravilha:

Ingredientes

2 xícara farinha de trigo
1 1/2 xícara açúcar refinado
1 colher de sopa fermento em pó
1/2 colher de sopa sal
3/4 xícara água gelada
1/2 xícara óleo
7 gemas
1 colher de chá essência de baunilha
2 colheres de chá raspa de limão
7 claras
1/2 colher de chá cremor de tártaro
Anilina na cor verde (opcional)

Modo de fazer
Na batedeira, em velocidade média, misture a farinha, o açúcar, o fermento, o sal, a água, o óleo e as gemas (e a anilina, se for o caso) e reserve. Lave e seque bem a tigela da batedeira.
Bata as claras com o cremor tártaro até que forme picos - a clara vai endurecer, porém vai continuar a parecer úmida. Adicione a mistura de farinha e gemas aos poucos às claras em neve, mexendo devagar, até não enxergar mais pedaços de claras.

Leve ao forno pré aquecido a 180°C por cerca de 1 hora.

A cobertura é leite condensado com suco de limão e uma colher de sobremesa de manteiga.

O bolo foi um sucesso!

Dicas (válidas para outros tipos de bolos também):

  • Use os ovos em temperatura ambiente para conseguir o maior volume possível na batedeira. Ovos gelados resultam em uma massa menos volumosa e, assim, mais baixa e pesada.
  • Para as claras em neve, a tigela da batedeira deve estar limpa, sem gemas, água e/ou gordura - os lipídios prejudicam o desenvolvimento da albumina, diminuindo o volume final na neve.
  • O óleo de canola é ideal para bolos delicados.

Comentários

  1. Alê que bolo lindo e parece ter ficado maravilhoso!! Já copiei a receita e assim que eu tiver um tempinho vou direto pra cozinha tentar fazê-lo! PS: Amei seu blog!!

    ResponderExcluir
  2. fui fazer um desse, e quando virei a minha forma de cabeça pra baixo, caiu tudo hahaha mas não porque untei. Tipo quebrou o bolo e foi despencando pedaços. As paredes ficaram grudadas. Que será que eu errei?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saburiiina, será que você bateu demais a massa? Ou o forno estava muito quente? como estava a textura do bolo? e o sabor? precisamos de mais informações para tentar entender o que aconteceu, mas não deixe de tentar novamente.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Enfim, macarons

Bavaroise de Capuccino e os segredos do crème anglaise

Bolo brownie de aniversário e o ano promete!